ESTE É O SEU SITE DE PESQUISA DE MÚSICA ERUDITA MODERNA E CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA

ONDE ESTÁ AQUELA MÚSICA DO VILLA QUE EU OUVI?

Você não se lembra?

Pois então está no lugar certo para achá-la.

Mais de 100 compositores nacionais modernos e contemporâneos com destaque, naturalmente, para o nosso Heitor Villa-Lobos.

Repertório da discografia em vinil localizada nas principais discotecas de São Paulo de acesso público.

Mais de mil CDs editados desde 1986, todos catalogados e apresentados numa caixa de pesquisa amigável.

Quer mais ainda?

Tente.

Objetivo

Temos uma carência no conhecimento da produção musical dos compositores modernos e contemporâneos brasileiros. A música moderna praticamente começou com Heitor Villa-Lobos nos inícios do século XX. Mas somente há poucos anos a sua obra ganhou um catálogo estável com a listagem organizada pelo Museu Villa-Lobos. Osvaldo Lacerda, graças aos esforços da Academia Brasileira de Música, foi outro compositor afortunado com um catálogo amplo. Porém existem muitos cuja obra não tem um mínimo de organização.

Falta-nos uma discografia abrangente sobre nossos músicos eruditos, da mesma maneira que a música popular foi contemplada, sendo servida por uma vasta rede de publicações e sites de busca.

Aqueles que desejam tomar contato com a biografia e a discografia dos compositores dirigem-se às antigas publicações de Vasco Mariz, enciclopédias ou endereços eletrônicos dos próprios compositores que se dispuseram a colocar seus catálogos na rede mundial de computadores.

Diante desta realidade nos propusemos a criar um espaço onde tanto o aficionado, o estudante ou o profissional do campo musical localize os discos e as faixas dos fonogramas que lhes interessem, de forma aberta e gratuita, a partir do seu computador doméstico ou, se estiver na rua ou no bar, do seu smartphone.

Começamos inicialmente com a biografia e discografia de Heitor Villa-Lobos, o nosso maior clássico. Mas estamos nos encaminhando para todo o universo de compositores e intérpretes mais significativos da cena musical erudita brasileira.

Será suficiente? Não, entretanto já é um começo.

Boa pesquisa!